Somos um Fórum de RPG, focado em D&D, porém com sistema mais aberto. Criação de personagem e raças completamente customizáveis!
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Edifício Praça da Bandeira (Início)

Ir em baixo 
AutorMensagem
Hagatsune
Boss
Boss
avatar

Mensagens : 443
Localização : Tenkai

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
500/500  (500/500)
HP HP:
100/100  (100/100)
SP SP:
500/1000  (500/1000)

MensagemAssunto: Edifício Praça da Bandeira (Início)   07/12/18, 06:47 pm



Também conhecido como Edifício Joelma, por causa de um episódio que ficou conhecido em todo o Brasil, sobre um incêndio que deixou muitos mortos e mais ainda feridos. Era noite, por volta das 19 horas quando todos chegariam no local indicado, fosse por cartas ou telefones. Os convocados teriam que se virar pra chegar no local no dia e na hora combinada. As informações sobre a missão já havia sido especificada pela Pentex, que teria enviado e-mail ou carta ou telefonema há alguns meses atrás.

Informações já obtidas:
 

A praça era toda iluminada com luzes piscantes, um grande pinheiro decorado com bolas de diversas cores e presentes ao pé dela se encontrava no centro da praça. As pessoas que transitavam por ali eram em média jovens, porém não haviam muitas pessoas por ali. Alguns bancos de madeira contornava a praça e estava em cantos estratégicos para que pudessem admirar a árvore. Alguns prédios ao redor também estavam iluminados com as luzes piscantes e ainda alguns continha renas e presépios.

Assim que todos estivessem presentes na praça, em frente ao prédio, dois rapazes se aproximariam. Eles um deles usava um sobretudo de coloração bege, paletó preto aberto, blusa social branca e uma gravata preta; calça social preta e sapatos sociais de mesma cor. O outro rapaz tinha cabelos um pouco mais compridos, era também mais alto que o outro e vestia um casaco marrom, uma camisa social vinho, calças jeans e tênis.



Assim que eles chegassem perto e parassem de andar já na frente do grupo, todos sentiriam uma energia forte vindo de um deles, do rapaz de sobretudo. -Boa noite, T'challa, Robert e Melena. -Disse o jovem de cabelos maiores, cumprimentando um por um. -Boa noite. -Disse Castiel. -Sou Sam Winchester e este é Castiel. -Se apresentaria e em seguida ao companheiro. -Iremos levá-los até o local em que faremos uma breve reunião, pra que possamos explicar algumas coisas. -Diria ele se virando para o prédio que outrora pegou fogo. Eles entrariam no Hall de entrada, era bem chique com espelhos por várias partes da parede, lustres e piso brilhoso e bem limpo. O elevador era bem grande, cabendo até 14 pessoas e eles subiriam até o 10º andar. Um corredor não tão largo, porém grande, com quatro portas bem distantes entre si. -Neste andar foi onde começou o incêndio e o número do apartamento também. -Sendo este o 104. -Aqui viviam seis pessoas de uma família. -Completou ele abrindo a porta e entrando. Era um apartamento normal, bem organizado com a vista pra praça. Eles estariam inicialmente na sala de estar, bem grande, com três sofás fazendo um quadrado aberto, uma tv 4k, carpete, e dois corredores, um do lado esquerdo e outro direito. -A Pentex alugou este apartamento pra ser nossa base enquanto estivermos aqui resolvendo essa missão. -Disse fechando a porta assim que todos estivessem dentro.

Importante escreveu:
Ordem de Postagem:


  1. Onuris
  2. Ximeerra
  3. Robert


Leiam as regras para que não percam o tempo de postagem!!

Lembrando que AQUI não conseguirão editar seus post's, por isso, não esqueçam nada!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgfantasyworld.forumeiros.com
Onúris
Boss
Boss
avatar

Mensagens : 848
Localização : Wakanda

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
6020/6500  (6020/6500)
HP HP:
360/360  (360/360)
SP SP:
260/260  (260/260)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   07/12/18, 07:39 pm

T'Challa fora contatado espiritualmente da primeira vez, pelo famigerado Samedi, um Loa. Ele não tivera tempo de pesquisar a tal Pentex, mas tudo sugeria que era uma organização com interesse no sobrenatural e de certa forma na segurança pública, mesmo que para seu proveito quem sabe. Assim que recebeu um e-mail informando sobre o horário e local da missão, T'Challa pegou uma das naves de Wakanda e desceu próximo a um aeroporto de São Paulo, para que no restante do caminho viesse de metrô. As decorações natalinas constatavam com o seu propósito ali, o desespero, a dor e a fúria dos espírito não era algo a se levar levianamente, a própria tradição das tribos dizia isso. Estava disposto a agir em primeira mão, testar suas capacidades e formar uma aliança com essa empresa, mais alguém para entrar no mercado de Sigmetal que Wakanda dominava. T'Challa viria trajado com uma camisa social cinza, paletó e calça azul marinho, em seu dedo anelar direito um anel dourado com um leão gravado em relevo, em seu pulso esquerdo o bracelete de contas metálicas negras e com uma trava dourada com duas cabeças de leão ligadas com uma barra dourada, no pulso direito as contas com os glifos kimoyo, no pescoço (parcialmente visível pela camisa aberta nos últimos dois botões) estava o colar de presas douradas. Por fim um par de sapatênis negros, queria manter a formalidade, mas levaria em conta a mobilidade também. Um ser que exalava uma poderosa energia estava li, acompanhado de um rapaz de cabelos longos, e logo mais dois juntavam-se a eles, um sendo um homem e a outra, um colírio para os olhos quem sabe, Melena. - Boa noite Melena. - T'Challa aproximaria-se dela para abraçar-lhe. - Tenho algo a discutir contigo quando tivermos tempo, e lamento por não recebê-la antes, estive ocupado demais. - Diria para a mulata, porém antes que falasse com o outro, já vinham dizendo seu nome. - Boa noite a todos. - Após falar cumprimentaria os dois que aproximavam-se o tal Robert, cada um com um aperto de mão firme, acompanhado de Majestade. Seu tom de voz seria neutro, mas sua postura ereta e firme, mostrando bem seu porte físico e altura, especialmente enquanto andava com certo gingado em suas passadas. Ele ouviria atentamente ao que o rapaz dizia enquanto o acompanhava, estando concentrado em pensar a respeito do lugar e do que era dito, e se precaver quanto a qualquer imprevisto. Poderia recordar-se de algo a respeito daquele lugar, sua história, suas peculiaridades quem sabe, e claro que mantinha os sentidos aguçados a postos para qualquer movimentação estranha.




Ações escreveu:

  • Abraçar Ximerra
  • Majestade
    Habilidade:
     
  • 3 ações para cumprimentar os demais
  • Pensar sobre as informações dadas e a história do local
    Capacidades e Complementos:
     
  • Rastrear possíveis ameaças
    Capacidades e Complementos:
     
  • 8 defesas se preciso, para si e para os outros (usando a forma de batalha do Escudo de Garra)


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ximeerra
Membros
Membros
avatar

Mensagens : 240
Localização : Rio Grande do Sul

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
2950/3000  (2950/3000)
HP HP:
230/230  (230/230)
SP SP:
340/340  (340/340)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   07/12/18, 10:21 pm

Fora indicada por uma carta da Pentex e pela própria mãe, Boahinmaa Graça, que recebeu uma chamada espiritual de seus irmãos Makungurus, sobre o paradeiro do rei do trono de Wakanda, uma região próxima da residência da família Graça. Ximeerra é requerida em um ponto específico do mapa de São Paulo para dar assistência presencial para a investigação de uma tragédia, e que as capacidades da filha seriam as mais adequadas para a situação presente. A gaúcha tera de sacrificar sua semana de descanso, mas instintivamente se abre para cumprir sua função. Após uma longa despedida de seus parentes em casa, adquire uma passagem de avião pelas despesas para o sudeste, devido a carga.
   Após uma caminhada, Melena finalmente se encontra no edifício Joelma, a mulata assim vestida de forma como se esperasse uma ocasião de luto por um possível resultado sobrenatural dos meios, góticamente coberta por um vestido victoriano negro e curto acompanhado com véu e luvas de couro, calça legging semi-transparente, botas pretas com salto, um mini-chapéu preso a um suporte para o cabelo, com os únicos adereços azuis sendo suas jóias de safira, um colarbrincos. Em suas costas, uma mochila básica ao lado de uma grande capa de um baixo, escondendo seus itens contidos.
    Com as informações da carta anotadas em seu celular, tem conhecimento do horário e local de encontro para a reunião. O clima do local gritava para o espírito da mulata, fazendo-a se contorcer de medo e até ternura pelos falecidos do incêndio, seu perspectivismo se atiçava cada vez mais que se aproximasse ao seu destino. 
    Finalmente se ajunta com o grupo de investigação, quatro rapazes dos quais três eram conhecidos, Sam e Castiel que contribuíram para uma antiga investigação sobre o paradeiro do assassino de seu ex-marido, e Onúris, um ex-colega de estudo. Coloca as malas no chão, e seu estado estupefato de antes instantaneamente some ao cumprimentar todos os envolvidos, incapacitada de manter uma postura formal. - MEU AMIGO DAREN! TÔ A UNS TEMPOS QUERENDO FALAR COM A SUA CARA SECA! - Responderia o abraço do rapaz apertando ainda mais quase o levantando do chão, com uma voz eufórica. - Oh...er...oi tchê! - Sauda o homem desconhecido serenamente enquanto ainda agarrava Onúris. - SAM! E até tú Castiel?! - Segue agarrando os dois detetives simultaneamente. - Mas...cadê o Deanzinho?! -
   Após as calorosas saudações de todos, segue ambos detetives para a atual base e início de sua função no local. Se deslumbra com os adereços brilhantes, virando seu olhar para todos os lados com o queixo caído, inclusive de pena com os cantos ainda em transtorno. Assovia com os móveis de ponta da sala, apoia sua bagagens no sofá mais próximo, e com as instruções de Sam, sente a necessidade de vasculhar os arredores da base. - Ai ai, nem tenho tempo pra respirar com a família feliz... -
   Com Onúris começando a vasculhar a primeira sala, segue com o corredor da direita buscando adentrar o quarto respectivo. - "Mirando...o que bisolhar em uma casa que sofreu um incêndio?  Bem... sendo uma família acho que eu poderia tentar abusar pra procurar documentações ou papeladas...sendo que não estejam tostados agora...só pra ter certeza..." - Atiçando seu pensamento e sua visão corvídea, ergue sua atenção para itens assinados e ou carimbados, ainda buscando conhecer os quartos seguintes e o sobrenatural.

Ações escreveu:
1. Apertar o abraço em Onúris.
Capacidades e Complementos:
 
2. Brevemente cumprimentar Robert.
3. Agarrar Castiel e Sam simultaneamente.
4. Rastrear possíveis ameaças no corredor à sua direita.
Capacidades e Complementos:
 
5. Vasculhar o quarto respectivo do corredor.
Capacidades e Complementos:
 
6. Esquiva.
7. Esquiva.
8. Esquiva.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mestrej
Membros
Membros
avatar

Mensagens : 142

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
2050/2500  (2050/2500)
HP HP:
120/120  (120/120)
SP SP:
152/210  (152/210)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   08/12/18, 12:16 am

Robert havia sido contatado com um e-mail, apesar de inicialmente não ter interesse em algum tipo de missão de uma entidade desconhecida, o que em sua opinião é algo insensato muitas vezes imaginando que seria uma missão suicida ou uma armadinha, porem ao ser bombardeado com uma serie de informações sobre o sobrenatural da região não pode deixar de aceitar, assim comprou uma passagem de avião e chegou a São Paulo com alguns dias de antecedência movido por curiosidade pura e simples.

Na noite ele vestiu seu uniforme e voou para perto do edifício pousando por perto (deixando sua habilidade ativada) e indo de sombra em sombra até chegar perto da entrada onde outras duas figuras haviam chegado. Para uma aproximação mais apropriada ele decidiu andar até eles com uma postura mais seria e rígida: costas retas, passos largos, ombros largos, rosto de poker, punhos fechados.
Considerando que ele é um homem vestido quase completamente com uma armadura de placas de metal pretas, uma espada nas costas, uma mascara com uns chifrinhos e um grande símbolo vermelho de morcego no peito, ele se destacava em muito dos outros, talvez até surpreendendo-os por ter passado dês apercebido até aquele ponto, dos três era o único que estava visivelmente usando algum tipo de uniforme de combate embora não fosse tradicional.
Ao chegar na frente do prédio se manteve tão firme quanto uma estatua, chegando a demorar um instante para desviar o olhar para T'Challa e devolver o aperto de mão com o máximo de firmeza, porem mínimo de agressividade que poderia, como uma forma de tentar se dar algum valor aos olhos do outro homem, inclusive retornando a saudação com um aceno de cabeça e aquele olhar de alguém que estava analisando silenciosamente.
-não preciso de uma observação profunda para ver que esse homem é forte e tem algum nível de liderança, além de ter recursos claramente. Alguém a se tomar como uma figura de peso.

Batman em seguida voltou sua atenção para os dois que emergiram do prédio, eles não chamavam muita atenção, porem eles claramente não pareciam nativos tanto por sua aparência com forma de se vestir, principalmente aquele sobretudo no clima de São Paulo, porem a energia forte que saia do rapaz de sobretudo era o maior destaque, mesmo Robert não tendo aptidão magica seus estudos o permitiram sentir que aquele não era um humano normal.
Quando o Winchester se referiu a ele pelo nome Robert deu um passo a frente e ficou com a cara fechada.
-Não use meu nome, eu uso essa mascara por um motivo. Durante essa missão eu prefiro que me chame de Batman. - disse ele em uma voz roca e tom sério, porém sem ameaça.

Claro que qualquer clima que se formasse por isso iria rapidamente ser cortado pela reação animada da tal de Milena que não criou nem uma reação de Robert, mas o fez tomar nota que ele era o único no grupo que parecia não conhecer os demais.

Batman se absteve de demais comentários no caminho para cima enquanto absorvia todas as informações que lhe eram apresentadas, ficando em pé quando chegou no apartamento mais próximo a janela. Ele já tinha ouvido falar uma ou duas cosias da tal pentex, mas nunca havia pesquisado nada sobre ela e considerando tudo ele estava borbulhando de perguntas. Levou uma pausa dramática, principalmente para processar todas as informações que já foram dadas e ao que elas poderiam ser relacionadas, mas finalmente ele deu voz as suas perguntas se dirigindo para os dois homens que os tinham convidado.
-Parece que sou o único com pouca experiência com o sobrenatural, e suponho que nossa função é dar fim a necrópole, eu fiz algumas leituras, mas vou perguntar: 1-suponho que os Garou's sejam metamorfos, de que tipo especificamente? 2-O que são os Engenheiros do Vazio? 3-E que nova ordem mundial é essa? 4-O que é realmente a pentex? 5-E o que é o Sabat? 6-E quem são vocês dois exatamente?
-Será que ele é mesmo o anjo da bíblia.

Ações escreveu:
1-
habilidade:
 
2 e 3- interações sociais (aperto de mão e pedido para não falar o nome)
4-
analisar todas as informações dadas e no que elas podem estar relacionadas:
 
5, 6 e 7- esquivas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hagatsune
Boss
Boss
avatar

Mensagens : 443
Localização : Tenkai

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
500/500  (500/500)
HP HP:
100/100  (100/100)
SP SP:
500/1000  (500/1000)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   09/12/18, 12:59 am

Todos os presentes se apresentaram, de forma explícita ou não, sendo cuidadosos ainda sim perante a missão. -Ok, Batman. -Disse Sam imitando a voz do protagonista dos filmes do personagem e Castiel o olhou em reprovação. Ambos deram oi pra Xemerra. -Meu irmão está em outra missão. - Diria ele pra moça. Algumas pessoas que passavam olhavam pro morcego, e cochichavam algo como "cosplay". Apesar de toda a história por trás do prédio, e conseqüentemente do apartamento, nenhum deles podia sentir nada ali, nenhuma energia, contudo aos que observaram bem poderiam notar um pó branco tampando todas as passagens de frestas, de janelas ou portas. Onuris teria algumas ideias em sua mente (será enviado via PM) sobre as informações dadas anteriormente. -Nós já livramos o prédio de alguns espíritos, por isso estamos seguros aqui. -Disse Sam percebendo que todos ainda estavam alertas. -Aquilo na janela é sal, serve pra impedir que espíritos entrem aqui. -Revelou ele para os presentes, se sentando numa cadeira e esperando que todos se acomodassem por aquele momento. -Apesar disso, as coisas estão mais complicadas do que pensávamos e precisávamos de mais ajuda, por isso os chamamos aqui. -Continuou Castiel. -Fora isso temos uma ficha sobre cada um de vocês, dessa forma sabemos que são capazes de nos ajudar. -Terminou Sam calmo esperando a reação de todos. -Claro Batman, os Garou seriam os mais conhecidos como Lobisomens, resumindo de forma escrachada. Os Engenheiros do Vazio são como "Homens de Letras", estudiosos que recolhem informações sobre objetos mágicos e tudo relacionado a sobrenatural. -Deu uma pausa pensativo. -Sobre a ordem mundial eu não sei o que dizer, mas em muitos lugares vê-se gente falando desta ordem, mas nada concreto. Já sobre a Pentex, ela é uma empresa que uniu várias afiliações ligadas ao sobrenatural do mundo inteiro. O Sabbat é uma seita dos vampiros, mas não lidaremos com eles, meu irmão Dean estará lidando com isso. -Respondeu tentando ser o mais específico. -Eu sou um caçador de seres sobrenaturais que quebram a ordem. -Falou sobre o que fazia. -Eu sou um anjo. -Disse na lata sem explicar nada mais e de forma séria. Nisso Sam mexeria em uma pasta e tiraria dela um papel e entregaria para Batman. -Ai está dizendo o que é o Sabbat mais explicado. -Comentou enquanto pegava um notebook, o abrindo e mostrando alguns indícios de incêndios em vários locais nos últimos anos e desde o incêndio daquele prédio. -Pelo que consta, os incêndios começaram depois do que teve neste prédio, e neste ultimo ano ficou mais frequente, tendo em média dois a cada três meses. Aqui tem algumas notícias dos jornais locais que fala sobre os incêndios e a maioria foram semelhantes ao deste prédio. Sem um indício de como o fogo começou, simplesmente "apareceu". -Disse Sam contando enquanto mostrava as notícias e os respectivos locais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgfantasyworld.forumeiros.com
Onúris
Boss
Boss
avatar

Mensagens : 848
Localização : Wakanda

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
6020/6500  (6020/6500)
HP HP:
360/360  (360/360)
SP SP:
260/260  (260/260)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   09/12/18, 01:43 am



Não havia uma presença sobrenatural a única coisa esquisita era o traje do "Batman" para uma ocasião em que precisavam estar a paisana, porém ele não falaria sobre isso, não era pertinente ao momento. T'Challa tinha uma suspeita para aquele assunto, algo muito mais complexo de lidar do que espíritos zangados. - Parece que a Pentex está realmente empenhada nesse assunto, se já pesquisou e mandou especialistas antes de nós. - Diria a princípio se aproximando da janela e tomando nota mental sobre a ideia do sal, caminhando então para a cozinha, onde procuraria por isso. - Entretanto o problema pode ser maior, existem simbologias nessas mortes e os incêndios podem ter uma origem que vai além de espíritos presos ao mundo material. - Continuaria a falar enquanto procurava pelo sal na cozinha, e se o encontrasse colocaria no bolso interno do paletó. - A numerologia do apartamento e o número de pessoas mortas, indicam ação demoníaca, o que pode variar por uma gama grande de anjos caídos ou seres infernais. - Ele voltaria a aproximar-se do grupo, agora olhando para Castiel. - Você saberia dizer com exatidão se existem sinais demoníacos pelo prédio? - Indagaria ao anjo num tom neutro, porém com uma postura firme. - Rituais de conjuração, sacrifícios, existem muitas possibilidades, e se a Cidadela é originada de tais eventos, com certeza tal demônio poderia ser a real ameaça. Claro que isso é uma conjectura, mas é baseada nos indícios históricos e até mesmo reforçado pela sua investigação. - Enquanto falava acabaria por cruzar os braços e ficar pensativo, deveria ter uma força de investigarem mais. - Qualquer forma mediúnica de comunicação normal poderia ser um erro, tabuleiro de ouija ou mesa branca.  Isso tudo explica porque as tentativas de limpeza do local por alguns religiosos e médiuns deram errado, se existe um ser mais poderoso envolvido não seria fácil ajudar essas almas, e a cidadela resultante disso permaneceria um problema. Não sei ao certo as especialidades do grupo, mas deveríamos conhecer melhor nossas capacidades como um todo, essa missão poderá ser arriscada. - Ele descruzaria os braços olhando para todos ao redor, um por um. - Me chamo T'Challa Mane Dhahabu, sou Rei do país de Wakanda, membro de uma tribo antiga ligada ao sobrenatural. - Diria num primeiro momento dando tempo para que assimilassem tal informação, quer dizer, ao menos só o tal Robert que não sabia daquilo. - Sou especialista em práticas de sobrevivência e combate, além disso tenho perícia em áreas de conhecimento atreladas ao sobrenatural. - Não fazia sentido se segurar tanto com eles ali, então decidiu jogar um pouco mais aberto. - Esses incêndios, além da forma estranha como simplesmente acontecem, existe algum padrão, ou algo remotamente em comum? Também gostaria de saber se existe algum lugar próximo deste ponto seguro onde ainda há uma atividade paranormal elevada. - Indagaria a Sam.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ximeerra
Membros
Membros
avatar

Mensagens : 240
Localização : Rio Grande do Sul

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
2950/3000  (2950/3000)
HP HP:
230/230  (230/230)
SP SP:
340/340  (340/340)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   09/12/18, 04:01 am

Música Tema - Ternura Para Os Desditosos

Voltara para a sala principal após vasculhar brevemente o corredor, assim para ouvir sobre a discussão com perguntas e informações jogadas por todos. Tomaria a atenção sobre a proteção do edifício, para pegar um punhado de sal na janela mais próxima, sal picando metade de sua mão para dentro da faixa de seu chapéu. Ao conjurar uma esfera d'água na mão vazia, junta o elemento com o restante de sal em sua outra mão, e lavando seu rosto com a mundana fusão de água com sal. Com o pequeno ritual feito em si mesma pausa para contemplar a vestimenta negra do homem desconhecido. - Eeeiii, gajo...agora que eu dei conta do seu traje! Rapaz, esse couro parece mais atochado que rolha na garrafa! E eu achei que eu era berrante! Bah...pelo menos parece prático... - Comenta livremente enquanto cutucava os chifres da cabeça do traje em questão. - Huhuhu...praticamente medonho... -
   - Eu tô rezando pelo seu irmão, Sam. - Comentaria para o detetive com as mãos no peito ao sentar-se, levemente decepcionada e preocupada com o fato dos dois irmãos estarem separados. - Hum...antes de tudo...ei Castiel...agora que 'cê já declarou as peninhas...eu já tava curiosa pra te observar. Só um momento... - Antes que continuasse com perguntas, concentraria sua visão no ser angelical à sua vista, com os olhos azuis como o céu tornando-se negros semelhantes com a de um pássaro, dos quais encarariam por sólidos segundos em todos os cantos de Castiel, e gesticulando os movimentos da cabeça como tal. Seus olhos voltariam ao normal, assim como a sua consciência humana após fazer uma breve observação carnal e espiritual do mensageiro divino.
   - Três de vocês conhecem euzinha e até o que eu faço, mas o 'LeatherMan' aí não tem idéia. Prazer gajo! Eu me chamo Ximeerra Graça Zule. Mas pode me chamar de Melena...Brigadeiro. - Ergue o lado de sua saia ao apresentar-se à frente de Robert, com um sorriso sincero, e seu olhar azul misteriosamente mais cintilante do que antes. Continua com a discussão se aconchegando no sofá ao lado de suas malas, abrindo a capa de seu instrumento mais pacífico em mãos, o baixo, e passa a tocar uma sinfonia que o instrumento cobre comumente nas notas, em volume não elevado, uma música que faria tributo aos falecidos. Enquanto tocava, prende seu pensamento sobre as descobertas destes lobisomens durante o percorrer da história até o presente. - Sabe, sobre ritos, a última vez que eu testemunhei espiritualmente um Skinwalker que tava fazendo um ritual com corações de vários metamorfos diferentes, para conjurar um tal de 'Feitiço da Vida'. Deixa eu bater a cuca aqui... - Pausa sua canção para apertar sua cabeça e lembrar do dito de sua antiga visão. - Era um tributo egípcio para algum rei, que era mais ou menos assim: 'narju 'an yaetini 'iimlayiy alhayat , alty tueti alkhulud 'iilaa alsilalat al'uwlaa , alty 'ansha'atha alalihata. lays min qibal 'am alzandiq , zawjat alkhayin , bal almalik alhaqiqi.' - Os olhos e lábios da gaúcha se arregalam após recitar sua memória, principalmente com o contexto do próprio usuário, enquanto encostava suas mãos em seu rosto. - Ai que bichada! Isso tá me lembrando do meu Bento denovo! Maldito cusco... - Após um suspiro de uma voz rouca e um intervalo, volta com a sua prática artística com o instrumento seguindo com o tópico.
   - Eu tô entregando essa situação pra dar cabeça pra questão das macumbas, mas eu tô aqui curiosa sobre o que esses cachorros acharam nessas bandas. Tipo, esses objetos mágicos que 'cês mencionaram...algum de vocês sabem ou têm posse de algum? E sabem que outros tipos de troços eles quereriam? - Pergunta para todos os detetives da roda, focando seu olhar para Sam e Castiel, com o olhar levemente transtornado.

Ações escreveu:
1. Lavar o rosto com a fusão de água com sal.
Capacidades:
 
2. Ler Castiel.
Habilidade:
 
3. Assovio Harmônico.
Habilidade:
 
4. Se apresentar em publico.
Capacidades:
 
5. Tocar o baixo durativamente.
Capacidades:
 
6. Questionar e absorver sobre artefatos mágicos.
Capacidades:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mestrej
Membros
Membros
avatar

Mensagens : 142

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
2050/2500  (2050/2500)
HP HP:
120/120  (120/120)
SP SP:
152/210  (152/210)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   09/12/18, 06:08 pm

Robert ficou em silencio absorvendo as resposta e pegou o documento oferecido e fez uma leitura enquanto os outros dois mexiam no sal aqui e acola.
-Obrigado, isso confirmou algumas de minhas suspeitas e esclareceu algumas outras. Essa sala já foi uma cena do crime não é? Vejamos se sobrou alguma pista.

Batman então começou a usar seus super sentidos e habilidades investigativas para examinar a sala em busca de quaisquer pontos diferentes no acabamento que poderiam indicar pontos que tiveram que ser reparados e, portanto, estariam escondendo pistas, além claro de quaisquer marcas no chão, paredes e teto que poderia ser mais que algum aranhão aleatório, inclusive batendo na parede e pisando pesado para procurar sons diferentes no piso. Enquanto isso ainda escutava a conversa que acontecia no mesmo cômodo, até empurrando alguns moveis no processo.
-Pode me chamar de Batman, sou um cientista e vigilante. – Respondeu aos dois com um aceno de cabeça.

Ele fez questão de não reagir com as ações da gaúcha que comentou sobre sua roupa e depois fez alguns ritos funerários. Em complemento a pergunta do rei com nome difícil ele adicionou:
- Marcas? Símbolos? Aranhões? Marcas de queimado em formatos repetidos? Locais que não queimaram? Objetos que não estavam lá? Objetos que sumiram? Talvez as vítimas tivessem algo em comum? Teriam fotos? Independente se forem fantasmas ou demônios eles devem ter um motivo e um padrão para trabalhar assim podemos determinar seu próximo alvo. Encontrando esses indícios podemos talvez identificar até mesmo os responsáveis e obter alguma vantagem. E mesmo que estejamos errados e não exista um ser mais poderoso eles podem estar em grandes números e por tanto precisaríamos encontrar o líder das assombrações.

1-
averiguar os documentos escreveu:
(+20 em testes em conhecimentos universitários ou escolares)
- Conhecimento – Sobrenatural - Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento – Línguas - Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento – História - Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento – Literatura - Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento – Teologia - Nível 10 – 1000/MAX.
2 a 5-
analisar o ambiente escreveu:
- Super sentidos: (Passiva) Rank F
Os sentidos aprimorados do morcego humano estão em outro nível.
Bônus: +7 em testes que envolvam seus ótimos sentidos
- Título - Investigador Forense +15 e +15 em testes de Rastreamento.
- Conhecimento – Sobrenatural - Nível 10 – 1000/MAX.
- Prática de Sobrevivência - Noção de Ambiente - Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento - Geologia - Nível 10 – 1000/MAX.
6 e 7- interações sociais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hagatsune
Boss
Boss
avatar

Mensagens : 443
Localização : Tenkai

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
500/500  (500/500)
HP HP:
100/100  (100/100)
SP SP:
500/1000  (500/1000)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   Ontem à(s) 03:12 pm

Sam ouviu tudo o que T'challa tinha a dizer, concordando com quase tudo. -Infelizmente não encontramos vestígios de demônios, ao menos por enquanto. Porém todas as pessoas que morreram nos incêndios se transformaram em espíritos vingativos. Podem pegar os saquinhos aqui na mesa, é bom termos alguns sal reserva. -Nisso, todos aqueles com sobrenatural acima do nível 5 saberiam que espíritos vingativos eram criados da morte muito drástica ou violenta e injusta, ou quando um espírito permanece junto do humano mais próximo por muito tempo. T'challa encontraria alguns sacos pequenos contendo sal de cozinha, separados na mesa de centro.-O problema é: seus corpos já foram cremados por causa do fogo, o que significa que tem outra coisa prendendo eles aqui. -Dizia Sam, preocupado com aquilo, afinal deveriam ser muitos espíritos. Por conta de sua conversa com T'challa, nenhum dos dois reparariam em Ximeerra, que pegava um punhado do sal da janela. Ela também não sentiria nada além de ter passado sal em seu rosto, podendo arder seus olhos. Castiel estendia numa mesa um mapa de São Paulo. Por algum motivo Ximeerra não conseguiria ver muito além da aura de Castiel e a sombra de suas asas, contudo, seus olhos arderiam como se ela olhasse pro sol, mesmo que sua habilidade fosse olfativa, a imagem dele iria para sua cabeça. -Nas cores vermelhas foram onde ocorreram os incêndios, de pequena e larga escala durante os anos depois deste prédio. -Diria Castiel sério. -O amarelo representa o nível sobrenatural elevado e o verde... É bom que não tente ver minha forma angelical, ou seu cérebro será queimado e você desfalecerá. -Parou de falar.


-O verde é onde não há sobrenaturais. Nem espíritos, nem outros tipos de sobrenatural. O que é estranho, é que tem lugares em que tem atuação dos espíritos e logo ao lado não tem mais nada, como se sumisse misteriosamente. -Completaria Sam. Robert não encontraria nada, nenhum tipo de infiltração, ou rachadura ou tinta escondendo algo por baixo. O prédio era novo, realmente haviam construído um prédio do zero ali. -Nós estamos em um prédio novo, então... Não tem símbolos nem nada, por isso não temos esta informação. O antigo prédio foi completamente queimado e não sobrou nada registrado referente a isso. -Diria Sam respondendo Robert, parando de falar ao ver Melena tocando um instrumento e cantando em outra língua. Robert se sentiria bem com a música, apesar de sentir-se triste pelas mortes, e algo nela o encantaria. -Objetos mágicos? -Perguntou Sam confuso pra Melena.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgfantasyworld.forumeiros.com
Onúris
Boss
Boss
avatar

Mensagens : 848
Localização : Wakanda

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
6020/6500  (6020/6500)
HP HP:
360/360  (360/360)
SP SP:
260/260  (260/260)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   Ontem à(s) 04:24 pm



- Se o demônio for ardiloso e estiver liderando ou acumulando espíritos vingativos, com certeza ele vai evitar de se expor, chamaria mais atenção ainda, mas ele cometeu um erro imenso... Os incêndios em si já chamam atenção, seria questão de tempo até alguém com a capacidade de vocês iniciar investigação. - Deixaria um elogio ao caçador e ao anjo, mesmo que o alado tivesse deixado de responder sua pergunta por conta de outras situações. - Tenhamos cuidado agora, as linhas de sal são para evitar que espíritos entrem nesse ponto seguro, não desfaçam as linhas de sal em hipótese alguma. - Diria para Melena e Batman, enquanto iria verificar uma a uma todas as linhas de sal do apartamento. - Existem outros meios de libertar uma alma, um deles é encontrar objetos que carreguem um valor emocional, suas âncoras por assim dizer... E existem os métodos mais abruptos, como libertações ritualísticas, ou para aqueles que podem adentrar na Umbra... Atacar os espíritos diretamente. - Daria mais uma contribuição para sanar as dúvidas de todos, fazendo uso de sua vasta experiência com o sobrenatural e a magia, bem como a história atrelada a eles. - Levarei comigo um pouco de sal, e Castiel peço que me acompanhe... Por mais que eu seja um líder para meu povo eu sou do tipo que gosta de sujar as mãos... Precisamos de mais informações, e pelo que consta aqui vocês já fizeram muita pesquisa, talvez precisemos cutucar algo. - Enquanto falava isso, T'Challa guardaria consigo um terço dos sacos de sal, deixando os demais ali. - Estou formando uma iniciativa especial... Uma agência de controle de atividades sobrenaturais... Melena é uma das convidadas a participar, e eu gostaria de levar essa proposta a vocês três... Parecem ser detetives dedicados a uma boa causa, e esse tipo de ajuda possibilitaria impedirmos uma grande gama de eventos catastróficos... Melena, Batman e Sam, enquanto eu e Castiel vamos ao maior foco de atividades do prédio fazer reconhecimento, talvez vocês possam investigar com maiores detalhes a família desse apartamento... Essa parece ser uma missão um tanto suicida, mas eu não irei arriscar a vida de vocês no meu palpite, como também não posso ficar parado enquanto essas almas sofredoras agonizam. - Deixaria por fim um discuso de impacto, pronunciando bem sua voz e deixando sua postura ereta e firme, o verdadeiro porte de liderança, não faria uso de mais dons por enquanto. - Em uma hora eu e Castiel retornaremos aqui, será nosso ponto de encontro.


Capacidades escreveu:
- +10 em testes que envolvam História (Capacidade)
- Conhecimento – História / Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento – Sobrenatural / Nível 10 – 1000/MAX.
- Conhecimento – Magia Divina / Nível 10 – 1000/MAX.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ximeerra
Membros
Membros
avatar

Mensagens : 240
Localização : Rio Grande do Sul

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
2950/3000  (2950/3000)
HP HP:
230/230  (230/230)
SP SP:
340/340  (340/340)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   Ontem à(s) 07:59 pm

Interrompe sua canção após as especulações e questões jogadas para a mesa. Guarda o baixo na capa, e levanta-se do assento. - Ai me desculpem, o que eu citei aqui significa: 'Que o Feitiço da Vida, que dá a imortalidade às primeiras dinastias, criado pelos Deuses, me seja presenteado. Não pela mãe do herege, esposa do traidor, mas sim pelo verdadeiro Rei.' - Volta o olhar para Batman. - Bem, eu não sei muito do meliante, mas lembro que esses Skinwalkers roubavam fundos dos humanos e as formas animais dos metamorfos...mas o ritual seguia na mesma linha. Meu falecido marido foi vítima desse que tô contando, morreu de leucemia por causa do ato desse pulgento. O Sam e o Castiel sabem dessa reviravolta toda mais do que eu! - Volta a atenção erguendo a mão apontando para ambos citados.
  - Eu não manjo e nem tive muita cachola pra estudar magia negra, mas sei muito bem que trazer doenças e baixar consciências malignas são coisas muito comuns nessas macumbas, até fui acusada em toda minha vida de ser uma dessas bruxas que fazem pragas pros outros por motivos egoístas. Pior foi bater a orelha nessas acusações do próprio hospital que tentou salvar meu Bento... -
O emocional da gaúcha se abala com uma dor de garganta súbita, volta ao ponto-chave de seu discurso. - Eu tô comentando tudo isso porque...o desgraçado ousou de usar a pele do meu marido pra me enganar. Se não fosse pelos dois aqui e o Dean, eu não sei como que eu reagiria. Todo mundo é suspeito quando o bandido pode usurpar da imagem dos nossos queridos... - Ainda levemente rouca e tensa, miraria seu olhar penetrante em Castiel e Sam.
   - Não sei de outras pistas ou de trecos mágicos, é por isso que tô perguntando, se temos que nos preocupar com um capetão usando pobres espíritos por alguma ganância, é bom termos informações sobre os dois lados, digo o armamento do inimigo, e objetos casuais para essas aparições, puxando pra um lado de simpatia. Eu tô vendo que isso tudo foi reformado, mas se são mementos que tão puxando esses encostos pra cá, algumas coisinhas foram mantidas. - Apoia a mochila com os instrumentos em suas costas, e volta o olhar para os corredores e a porta.
   - Ei Sam, já que esses dois vão investigar um lado, será vocês dois fortes guapos poderiam acompanhar uma donzela pra vasculhar as menores salas? Tipo os quartos e escritórios? Você tem algum mapa desse prédio? Sabe se aqui tem pontos mais especiais, tipo um bar ou...quartos privados? Aposto que o motoqueiro quiróptero aqui vai gamar em bisolhar as coisas dos outros! - Indagaria sobre o conteúdo do estabelecimento, sugerindo a idéia progressista, enquanto sorria se apoiando no ombro do detetive noturno, voltando aos seu olhar azul forte como safira contra ambos.

Ações escreveu:

1. Traduzir a recitação.
Capacidades:
 
2. Abordar minimamente sobre magia negra.
Capacidades:
 
3. Sugerir o objetivo para Sam sobre o grupo.
Habilidade:
 
Capacidades:
 
4 à 8. Esquiva.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mestrej
Membros
Membros
avatar

Mensagens : 142

Ficha do Personagem
Experiência Experiência:
2050/2500  (2050/2500)
HP HP:
120/120  (120/120)
SP SP:
152/210  (152/210)

MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   Hoje à(s) 12:09 am

Batman teve que segurar o suspiro indignado e frustrado com o que leu e depois o que ele conseguiu lembrar das criaturas citadas.
-Então existem terroristas vampiros bom saber, talvez isso me salve um dia. Estamos cercados de esqueletos pegando fogo ou coisa assim e não sabemos como elimina-los.

Observando o mapa ele apontou para o centro com uma sobrancelha levantada ouvindo os questionamentos enquanto bolava suas próprias teorias.
-O centro não parece afetado pelos incêndios, já tentaram colocar um alfinete em cada ponto e ligar para ver se forma algum símbolo?
Agachando ele se manteve próximo ao mapa tentando observar algum padrão além do que já tinha visto enquanto ao mesmo tempo tentava complementar sua teoria com alguma especulação.
-Talvez os espíritos estejam caçando o sobrenatural, eles causam um incêndio e pegam o que quer que seja sobrenatural, arrastam para sabe-se lá onde e... talvez comam... talvez todos estejam sendo caçados por algo maior, pior. Quais as espécies que tem sumido pela cidade?
Vendo a observação do rei fera ele ficou em pé de novo e revirou os olhos com algum sarcasmo.
-Eu não vou brincar com o sal entendi.
-Como tudo foi queimado acredito que fomos reduzidos as táticas mais brutas, é uma boa estratégia para que seus soldados não sejam destruídos.
Porem ele ficou um pouco paralisado com tal proposta por parte do estanho rei, velou vários momentos de silencio e observação seria e sem piscar para que ele começasse a formular uma resposta enquanto as várias armadilhas possíveis em seu futuro pulavam em sua mente.
-Eu acredito que uma parceria a longo prazo possa ser... benéfica a todos, apesar de sermos... tão diferentes.- falou pausadamente como alguém que estava medindo as palavras.

Ele apenas ficou observando os presentes com aquela tensão silenciosa enquanto o gato dava suas ordens e na falta de um plano melhor ele assim aceitou.
-bem, eu não vou discutir com você, seu plano parece ser solido e você parece ser o mais experiente.
Ele então se afastaria de Milena quando ela tentasse se apoiar e se voltou para Sam com seu rosto de poker.
-Se o prédio é todo novo não devemos encontrar nada das vítimas sobrando aqui, se sobrou algo está em algum deposito da polícia local, além das anotações dela também poderem ser mais detalhadas e possuir uma perícia mais vasta, bem equipada e com algum tempo extra, a não ser que os você me diga que os itens não tenham sido movidos meu caro Sam, demos procurar os arquivos da polícia local.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Edifício Praça da Bandeira (Início)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Edifício Praça da Bandeira (Início)
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Desenhar a bandeira da Guilda
» Praça Pública
» Praça Central
» Caça a Bandeira
» [CAÇA À BANDEIRA] Instruções

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Multiverso da Fantasia RPG :: Quest's/Eventos/Nações :: Área de Eventos :: Arco 1 :: Edifício Praça da Bandeira-
Ir para: